“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

29 de novembro de 2010

LEITURA MAIS QUE OBRIGATÓRIA!



Segunda-feira, 29 de Novembro de 2010 No COVA-DO-URSO

Não coloques as palavras de gurus, curadores, terapeutas, psicólogos, amigos, e nem mesmo as minhas, acima da tua voz interior

Um comentário:

António Rosa disse...

Siala,

Publiquei o texto, fui comer qualquer coisa e quando me sentei novamente no computador, encontrei as tuas palavras e este post.

Que te posso dizer?

Apenas, muito obrigado e bem hajas.

Beijos

António