“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

24 de março de 2011

Vida Tão Estranha...


A felicidade não é gratuita. Nunca o foi. Acreditar nisso é viver uma vida inteira à sua espera, sem nunca a viver...A felicidade implica sempre um custo. Há sempre um preço a pagar...é um direito, mas um direito conquistado, nunca dado.
Sim ... nascemos para ser felizes, continuo a acreditar piamente nesta verdade relativa que para mim é absoluta...mas para o sermos temos que provar que o merecemos ser, e acima de tudo, que estamos preparados para vivênciar a felicidade.  É sem dúvida mais fácil e confortável ficarmos à sua espera, e quando ela não aparece, afundar-mos-nos no carpimento das nossas mágoas, tão infelizes que somos...assim ficamos no perímetro de segurança que delimitámos para a nossa existência, limites desenhados pelo medo e pela cobardia. Impostos? Aceites!
Imaginamos que a felicidade chega um dia e nos bate á porta. Mas mesmo que assim fosse...será que estaríamos em casa para a receber?
Somos nós que a temos que buscar, e ultrapassar obstáculos que tantas vezes raiam o intransponível...só assim nos podemos superar e ir mais além. Mais além, dentro de nós...descobri-la e arrancá-la da escuridão onde se aninha e submetê-la à luz do dia...
A felicidade implica coragem. Risco. Ousadia. Loucura.
Implica sabermos quem somos, implica assumirmos o perigo como amigo e estarmos cientes que esta pode ser a batalha da nossa vida, e que pode durar até ao último fôlego...
Ter medo de ser feliz é ter medo de viver. Ter medo de errar, ter medo das consequências que todas as tentativas implicam. É ficar-se no limbo frio e cinzento de uma alvorada suspensa, anunciada mas não realizada.
Que vida tão estranha essa...onde a felicidade é subjugada ao medo de se estar vivo...onde a espera é a escolha certa...e a procura, a loucura...

3 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

bacana esse post, Siala. Realmente a felicidade é conquista, trabalho... e tb inteligência para encontra-la e reconhece-la.

arKana disse...

a felicidade... a felicidade... vida tão estranha. quero voltar a ser louca, que parece que me esqueci! vida tão estranha :)
beijo e namasté!

Astrid Annabelle disse...

Por isso da necessidade de sermos livres para podermos ser felizes.
Vi o início do vídeo e voltarei para ver o restante. Hoje a net está ruim.
Siala querida...lindo texto!
Beijo grande
Astrid Annabelle