“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

1 de outubro de 2009

Lua da minha vida


Brevemente farás a tua viajem de regresso a casa, de regresso ás estrelas.
Estou feliz.
Feliz porque viveste 8 anos junto de mim, ensinando-me no silêncio do teu olhar, na ternura dos teus gestos, na firmeza das tuas atitudes, de mãe que és e sempre foste, o amor incondicional mais puro e cristalino que alguma vez pude testemunhar.
Estou feliz porque quiseste vir para casa, porque quiseste partilhar estas últimas horas, dias, semanas talvez, comigo.
Não é fácil ter a tua vida nas mãos. Sei que o momento chegará e que serei eu a tomar a decisão, para que te libertes das amarras da matéria e partas fulgurante e brilhante para a fusão com a Luz Superior.
Não sei quando será. Poderá ser hoje quando chegar a casa. Ou talvez não.
Quero que saibas que estou preparada. Esta é uma batalha que não podemos travar...tu e eu sabemos que o ciclo interminável da vida, morte, renascimento não pode ser travado.
Olho-te no fundo dos teus olhos azuis, antes tão vibrantes, e agora pálidos, e vejo o teu sorriso felino repleto de tranquilidade, de paz, de sabedoria.
Fizemos um pacto, tu e eu.
Desde o momento em que te vi na veterinária que nos acompanha ao longo de toda a nossa historia, magra e enfezada, 8 anos, uma sobrevivente ao abandono, á vida dura pelas ruas repletas de perigos desconhecidos aos humanos...e mesmo assim, sempre essa doçura no olhar. O consultório de uma veterinária não é lugar para se criarem seres tão indefesos e vulneráveis...e foi assim que assumi o meu compromisso contigo.
Amamentaste os teus bebés, disseram-me. Os que tinhas então já eram outros, sem mãe que não tu. Mais chegaram entretanto e tu todos aceitaste. O teu Bruno continua a ser a luz da casa dos meus pais...
Não consegui dar-te. Tentei. Mas não consegui.
Dei-te. Esterilizaram-te e foste adoptada. Mas eu passei essa semana sem dormir, o teu olhar no meu olhar, no meu coração...e fui buscar-te.
E tu ajudaste-me a criar cerca de meia centena (quase uma centena?)de pequenos seres peludos e cheios de energia e alegria, que foram iluminar outras vidas com a sua sabedoria antiga...e algumas grandes tropelias também.
Depois disso, quantas coisas aconteceram...a vida deu muitas voltas. Mas tu foste sempre uma constante. Quando os outros tiveram que partir para outras mãos, outros corações, tu ficaste. Eu sempre soube que a nossa historia teria que ir até ao fim, e tu sempre me disseste que o teu lugar era aqui.
Ontem disseste-me que ainda não era altura de tomar a decisão, que querias vir para casa. E eu trouxe-te, tão frágil...sem saber se tudo não passaria de um egoísmo meu, mas a imagem que me enviaste foi forte o suficiente para eu a sentir no meu coração...e já em casa, na tua almofada favorita, depois de comeres a tua comida predilecta, disseste-me que me amavas, e que sabias que eu fizera sempre o meu melhor, mas que era uma parva por chorar e que se continuasse a culpar-me por tudo o que fiz e o que não fiz tu ias zangar-te, e não querias partir zangada.
Vai ser difícil não chorar. Mas as minhas lágrimas são apenas o arco-íris da minha alma que eu te ofereço, para te iluminar e colorir o caminho de regresso, Lua da minha vida.
Mas até lá, até daqui a uma hora ou até daqui a sabe-se lá quanto tempo, é o meu sorriso, o meu olhar, as minhas mãos, o meu afago, a minha voz, que vão embalar-te a alma e tratar-te o corpo, para que tudo seja como tem que ser...uma batida de coração de cada vez.

Nota: A Lua tem 16 anos. Foi-lhe diagnosticado um Carcinoma (tumor maligno extremamente agressivo e destrutivo) na junção interna direita do maxilar inferior e superior. Não pode ser removido. A sua partida é iminente...mas no que depender de mim será indolor. Este texto é a minha despedida, não dela, mas da dor provocada por uma suposta perda...porque eu sei que não perdemos aqueles que conosco caminham em liberdade e amor, apenas mudamos de dimensão...

Lua com 10 anos

13 comentários:

Isa Grou disse...

Olá Siala,

Ela sabe que você fez o melhor por ela........os animais são seres iluminados.......eles sabem.....
Por mais "entendimento" que se tenha........compreendo que é um momento que dói o coração...
Força viu querida.....
A Lua é linda!

Beijos.

Silvia Freedom disse...

Senti senti senti
Beijos de Luz nas duas!

Adelaide Figueiredo disse...

Siala ap Maeve

Porque já passei por situação idêntica sei avaliar o que está a sentir. Só lhe posso dizer e com isso concordo consigo que eles ficam connosco.Muita força.

Beijo

inespimentel disse...

O amor cria laços intemporais e incondicionais entre nós e tudo o que nos rodeia; a tua Lua estará unida a ti, sem barreiras, entre vós, através dos tempos... apenas haverá espaço para a saudade!As boas recordações farão dessa saudade um doce tesouro!

Siala ap Maeve disse...

Isa, Silvia, Adelaide e Inês, obrigada pelas vossas palavras. Nunca é fácil. Principalmente estar atenta para tomar a decisão na altura certa. Não é o primeiro amigo animal que vejo partir...é uma honra poder partilhar as suas vidas e é uma honra que eles me dão permitirem-me partilhar este momento tão feliz em que eles partem de regresso a casa por terem a sua missão cumprida aqui ou por serem precisos em outros lugares. O Amor é eterno. As lágrimas, a dor, o nó na garganta...são expressões da nossa humanidade pela saudade fisica que fica.
Muito obrigada!
Beijso de Luz

Gata Lili disse...

que coisa triste! estou torcendo por vocês.

Noivo disse...

Só em já perdeu sabe o que é perder.... !

Maria Helena disse...

Cristina, chorei ao ler,..lembrei-me dos meus que partiram recentemente,...

um abraço

uaimori

Siala ap Maeve disse...

Obrigada Gata, mas não há muito a fazer a não ser esperar.
Bjos de luz

Siala ap Maeve disse...

Noivo, só quem ama sabe ;) mas sabes, vale sempre a pena porque o que eles nos dão é tão valioso...e verdadeiro.
Bjos de luz

Anônimo disse...

senti a tua dor nas tuas palavras... quero que saibas que estarei aqui sempre que precisares de um ombro amigo.

beijos,
Lobinho

Siala ap Maeve disse...

Maria Helena, sim tu sabes bem o que se sente. É sempre uma fase delicada e vivida com sentimentos contradotórios, mas a saudade que fica é sempre enorme.
Obrigada amiga! Eles todos vão encontrar-se do lado de lá, e cada uma levará uma parte de nós.
Bjos de luz

Siala ap Maeve disse...

Obrigada Lobinho. Não tem sido muito facil.
Bjos de luz