“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

5 de outubro de 2009

Eu não tenho medo se tu não tiveres também...

"Tenho medo"
O pensamento atingiu-a com a força de uma chicotada seca e certeira. Precisou de alguns segundos para conseguir identificar a sua origem. Podia ser ela mesma. Por vezes sentia medo. Mas não assim. A chicotada repetiu-se na sua alma, "Tenho medo", e os olhos turvaram-se com o reconhecimento.
Chegara o momento.
Inspirou fundo, enchendo lentamente os pulmões de ar e susteve a respiração por um breve instante, só o suficiente para afastar o seu próprio medo e dor. Sabia que eram de origem ego-ista. Não havia tempo para sentimentos de tristeza por ter que lidar sozinha com uma situação como esta. Se assim acontecia era porque assim tinha que ser, fora ela que pedira para crescer e não valia a pena regatear com o seu professor...O Universo era sábio e não se compadecia com tretas.
Soltou o ar num longo suspiro e sorriu. Entrando no quarto viu-a de imediato deitada na almofada polar com padrão leopardo. Olharam-se nos olhos. Ela apercebeu-se imediatamente dos detalhes que confirmavam a sua intuição...a comida intocada...o olho direito com a 3ª pálpebra visível e a baba á volta da boca,uma boca sem dentes incapaz de segurar a língua rosada que agora pendia para fora.
Na penumbra aquela imagem mesclava-se com a imagem verdadeira daquele ser especial, cheio d força e de carácter, cheio de vida.
"Tenho medo"
As pupilas dilatadas e a respiração rápida...dor.
Ela viu-se instantaneamente dentro daquele corpo agora frágil, experimentou o desconforto, a confusão, sentiu a energia ainda forte, a ansiedade...
"shhhhhhh meu bébé não tenhas medo..." enlaçou-a com os braços e com a mente, aconchegando-a no seu peito e embalando-a com o bater do seu coração.
"Não tenhas medo. Do outro lado esperam-te todos os que partiram antes de ti, há um que tem muitas saudades tuas, o Khensu. Ele sabe que estás quase a chegar lá e está tão feliz! Lá não sentirás mais essa dor que te impede de alimentares um corpo físico em falência...voltarás a poder correr e saltar e poderás empoleirar-te nas mais altas estrelas. O teu pelo vai ser farto, brilhante e macio e os teus olhos...os teus olhos azuis turquesa, repletos da luz do amor que sempre espalhaste em teu redor. Na linha da tua boca, o desenho de um sorriso radioso, doce, terno.
Não tenhas medo meu amor. Estarei contigo até que atravesses a fronteira. No momento em que fechares os olhos aqui, eles abrir-se-ão e verás que estás de regresso a casa, á tua verdadeira casa e vais recordar-te de tudo.
Cumpriste a tua missão."
A respiração apaziguou-se e os olhos fecharam-se vencidos pelo cansaço e pela fraqueza. Ronronou e adormeceu.
Ela endireitou as costas e fechou a porta devagarinho, depois de a deixar suavemente deitada na almofada e fazer um afago ás três companheiras que a tudo assistiam impotentes, Sol, Mar e Anauel.
As lágrimas alcançaram-na, como a brisa marinha de uma noite húmida de nevoeiro que se lhe colou á pele e gelou a alma. Os olhos abarcaram o céu negro e nublado e as montanhas longínquas cobertas de copas das árvores de um horizonte tantas vezes sonhado que ela não conhecia aqui.
Adormeceu também, pedindo a S.Francisco que velasse por aquele ser prestes a ir, e o conforto de um abraço pois o seu coração doía-lhe no peito e por vezes também quem cuida necessita de um colo onde se abrigar para recobrar forças e descansar.
"Tenho medo" e desta vez o pensamento era seu.
"shhhh não tenhas medo. Eu não tenho se tu não tiveres também..."

A poucas batidas de coração da partida...

4 comentários:

inespimentel disse...

Siala, fiquei sem palavras, emocionada... e recordei tantos amigos que partiram e que me deram tantas alegrias, não me lembro deles quando recordo os amigos que partiram... que injusta, como posso???

Noivo disse...

Belas palavras!

Siala ap Maeve disse...

Querida Inês, nunca somos injustos nos nossos afectos, de que vale recordar se em vida não os tivermos tratado com amor e respeito? Tenho a certeza que o fizeste, e tenho a certeza que eles o sabem!
Obrigada minha amiga pela força e carinho!
Bjos de luz

Siala ap Maeve disse...

Noivo, obrigada! E os teus 4 patas, como estão?
Bjos de luz