“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

28 de janeiro de 2011

Astrologia e Reencarnação, apontamentos

Por Antonio Rosa, no Cova-do-Urso...
Leitura Obrigatória!
Obrigada António!!

2 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Mais uma aula fantástica do nosso querido António!
Eu assino em baixo...indico com ênfase!
Um beijo querida Siala!
Astrid Annabelle

António Rosa disse...

Siala,

Muito obrigado. Desculpa só chegar agora, mas ultimamente eu e o 'tempo' não andamos sincronizados.

Beijos

António