“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

24 de março de 2008

O Equilibrio dos Desiquilibrados


Este texto foi escrito por um amigo meu...obrigada Paulo!!
Numa altura em que a crise económica e social atravessa todo o nosso planeta é com tristeza e espanto que a maior de todas as crises, a crise de valores, se apodera de Portugal e dos Portugueses (só de alguns felizmente). Quando somos diariamente bombardeados com noticias de assaltos, de assassinatos a sangue frio, do desemprego que cresce em catadupa, dos alunos que são violentos para com os professores, dos professores que serão avaliados pelos pais desses mesmos alunos, os nossos governantes decidem, e muito bem, tomar medidas. O meu espanto surge quando me apercebo que as medidas visam o combate à violência, mas dos cães ditos de “ataque”.
Será que me equivoquei ou os problemas gravíssimos que assolam a nossa sociedade têm as suas raízes nos seres humanos e não nos animais? Qual é a culpabilidade dos rottweillers e dos pitt-bulls, para não falar em outros, em toda a situação de insegurança em que vivemos diariamente? Não serão os animais vítimas da brutalidade, insanidade e irracionalidade do ser humano?
Sendo o ser humano o único dos animais dotado de razão como poder ser tão cobarde ao ponto de perseguir aqueles de quem não sabe cuidar. Como poderemos nos culpar os animais de falta de sociabilidade se somos nos quem nos fechamos nos nossos caixotes que chamamos de apartamentos e oferecemos aos nossos filhos os tamagochis como se eles fossem animais de estimação. Que sociedade é a nossa que educa as nossas crianças tendo por base uma receita na qual os principais ingredientes são a individualização, a competitividade e o sucesso a qualquer custo. Cada vez mais o meio ambiente é o betão e os animais com os quais contactam estão à distância de um “clik” do comando da televisão.
Quando vejo na televisão comentadores dizerem, e passo a citar “ A maioria dos donos destes cães não são pessoas equilibradas”, questiono mais uma vez o que é ser equilibrado? Será equilibrado eu praticar um “desporto” denominado de caça, no qual unicamente por lazer eu me acho no direito de mater uns quantos coelhos, patos ou javalis? Será equilibrado eu pagar uma avultada quantia de dinheiro para assistir a um, deprimente, espectáculo no qual vários indivíduos sentados em cima de cavalos passam mais de uma hora a “espetar” ferros num touro até este ficar quase inconsciente como consequência da perda de sangue? Será equilibrado aquele que permite que um touro seja morto no meio de uma multidão, onde entre outros estão também muitas crianças? Será equilibrado eu permitir que centenas de cães morram todos os anos nas mãos de donos que os mantêm presos a uma corrente e que pura e simplesmente os deixam ao abandono sem comer ou beber? Onde está o equilíbrio de uma sociedade que fecha constantemente os olhos às atrocidades cometidas contra os animais sem que alguém seja capaz de fazer algo? Será equilibrado eu deixar impunes aqueles que por regozijo próprio de divertem assistindo à luta de dois animais que foram previamente treinados para esse efeito? Que sociedade equilibrada é esta que permite que animais sejam ano após ano, abandonados e que esses mesmos abandonos não acarretem qualquer penalização para quem os pratica? A verdade nua e crua é que os animais não têm direitos e não seria necessário que os tivessem, se os homens fossem capazes de cumprir com um dos seus deveres que é o de os tratar convenientemente. Os nossos animais são “brinquedos” e como tal são descartáveis, sempre que nos apetece aproximamo-nos e usamos quando já não é do nosso agrado deitamos fora. Este desprendimento dos valores humanos é o reflexo da sociedade consumista e competitiva da qual fazemos parte.
Mas que espécie de louco desequilibrado serei eu que peço para tratarem os animais de forma correcta se nem sequer somos capazes de zelar pelos da nossa espécie? Como pode esta sociedade cuidar dos seus animais se deixa que os nossos idosos apodreçam em lares de 3ª idade onde não nos incomodam nem embaraçam? Que espécie de utopia é esta de cuidar dos animais se quase diariamente me deparo com noticias de recém-nascidos que são deixados em contentores do lixo e dentro da arcas congeladoras? Onde mora o equilíbrio e a justiça quando ao invés de nos preocuparmos com as crianças que diariamente são negligenciadas pelos próprios pais só centramos a nossa atenção em dois ou três arranhões que um cão infligiu a uma delas? Será psicologicamente mais penoso para uma criança, a mordida de um cão ou a ausência de convivo com os aqueles que lhe são mais próximos?
Se esta for a sociedade equilibrada que tantos vêm apregoando, então é com orgulho que me auto declaro como um verdadeiro desequilibrado de corpo e alma. Os valores dos quais sou provido não me permitem sentir equilibrado no meio da sociedade em que estou inserido.
Para terminar importa ainda referir que é com grande tristeza que vejo a possibilidade de algumas das nossas raças desaparecerem, mas ao mesmo tempo acredito ser uma bênção para esses animais, em virtude de não terem mais de conviver com a irracionalidade do ser humano.

Por Paulo Silva

“Chegará o dia em que o desenvolvimento e evolução de uma nação serão medidos pela qualidade com que tratam os seus animais”

2 comentários:

Noivo disse...

um texto sublime, carregado de verdades!

Francis disse...

Relativamente ao texto, nada a crescentar, está tudo dito.
O melhor amigo do homem é o cão.
O pior inimigo do cão é o homem.
O pior inimigo do homem é ele próprio.
Beijos