“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

24 de março de 2008

Humildade

Já repararm como a palavra "Humildade" tem hoje em dia uma conotação negativa?
Ser-se humilde é quase tomado como sinónimo de ser-se um coitadinho, um pobrezito...
Não serei só eu, certamente, a encarar a Humildade como um dos grandes sentimentos que derivam directamente de um amor profundo e universal, e que anda de mãos dadas com o conhecimento, a sabedoria, o amadurecimento.
Há vários dias que esta palavra me tem assaltado em variadíssimas ocasiões...e a verdade é que tenho sido confrontada com as causas da sua falta.
Também eu já fui imune á humildade.
E também eu já a vi como algo repugnante até. Sinónimo de fraqueza. Na altura dizerem-me que eu era humilde (nunca o diriam pois eu não o era, muito pelo contrário) seria levado como ofensa grave pela rapariguinha que tentava lutar com as armas erradas lutas que não eram dela e que tentava a todo o custo provar (sabe-se lá a quem...a ela mesma?) que era algo que no fundo não era.
Ás vezes sinto-me velha. Parece-me que vivi demasiado em pouco tempo, e no entanto temo que o tempo me fuja e não me deixe disfrutar da paz que encontrei ao lado de alguém que finalmente amo - depois de tantas vezes o ter dito e escrito sem saber de facto o que era amar - , e me deixe aprofundar todas as linhas de saber que entretanto descobri...tantas portas ainda por abrir, tanto para conhecer, para saborear, para aprender.
E como se pode aprender sem humildade? Humildade para reconhecer o que se sabe e tudo aquilo que não se sabe. A humildade é o equilibrio da ambição, que mora em todos nós humanos. A Humildade é uma das portas do conhecimento...
Se eu ambiciono o Saber, tenho que ter a humildade de reconhecer que não sei tudo, e que provavelmente nunca o saberei...que há pessoas que sabem mais que eu, e com elas aprender...e partilhar aquilo que sei sem egoismos nem falsas ambições de ser a única a sabê-lo.
Recordo-me de pensar que sabia tudo sobre algo, de ser dona da verdade, e hoje sei o quanto perdi pois poderia ter ido muito mais além...se tivesse sido humilde teria aprendido muito mais sobre esse tal assunto, teria chegado ao cerne da questão muito mais cedo, poupando tempo e forças para aplicar noutras buscas de outros conhecimentos...
Hoje numa mera conversa de corredor descobri que em poucos minutos aprendi mais sobre a vivência actual da espiritualidade cristã católica, do que no resto da minha vida toda...porque me disponibilizei a ouvir, porque fui humilde e porque coloquei á parte as velhas questões que me atormentam há seculos. E porque a verdade é que, embora a Igreja seja uma instituição que pouco me diz de positivo, Jesus Cristo, S. Francisco de Assis, e alguns mais são para mim Mestres que me ajudam no meu caminho espiritual e humano.
Quem me conhece (e provavelmente quem me lê) já notou que eu não sigo uma linha espiritual rigida, a minha espiritualidade, tal como este Blog e tal como a minha vida, são frutos de uma mescla de sentires, de caminhos, de portas e janelas que exploro com a avidez de uma criança curiosa...
Mas a exploração mais gratificante tem sido a da viagem ao meu Eu interior, ao confronto com aquilo que eu sou, ao mergulho no mais profundo dos meus sentires...e tal como terminou a conversa desta manhã, no corredor, com uma colega de há 10 anos e com a qual nunca tinha trocado mais que uma mão mal cheia de palavras; há que ter humildade para reconhecer que pouco ou nada sabemos sobre nós mesmos para que nasça a ambição de realizarmos a viagem das nossas vidas, e mergulharmos sem medos dentro de nós mesmos...aquele Eu de quem fugimos tantas vezes, é a particula "divina" que arde em nós e que nos faz sermos efectivamente Seres de Luz...mas atenção, para que a Luz não falhe há que pagar a conta, e neste caso, há que alimentar essa luz com o saber que só se atinge com humildade, para que ela cresça e nunca se apague...pois a busca do saber é também ela uma busca incessante.

Obrigada MST por me teres mostrado a fealdade da falta de humildade, e obrigada Conceição, pela hora e meia de partilha de saber e de energia positiva.

3 comentários:

Francis disse...

A humildade é a porta aberta ao conhecimento.
Apercebemo-nos da (nossa)falta de humildade quando enveredamos por um trilho diferente, ou quando (como foi o caso) alguêm nos faz ver com outros olhos.
Aprendi muito sobre humildade a ler o Dalai Lama.
Tema deveras oportuno, neste mundo isento de humildade, a abarrotar de orgulho, despotismo e egoismo
Beijo.

Noivo disse...

é bom desabafar não é?

dina disse...

Ai está uma palavra interessante...."HUMILDADE"...realmente é coisa que hoje em dia é vista como sinónimo de fraqueza...mas é uma fraqueza saudavel...pois todos necessitamos dela para aprendermos todos os dias algo de importante na nossa vida...ser humilde não é ser fraco,é ser inteligente pois é uma forma de se aprender a viver neste mundo de egoismo...
beijinhos grandes