“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

30 de julho de 2010

Antonio Feio - a minha singela homenagem





"Aproveitem a vida e ajudem-se uns aos outros
Apreciem cada momento, agradeçam e não deixem nada por dizer, nada por fazer!"

Antonio Feio 1954-2010

Please make a u turn, you are in the wrong course to your destination.

Não é um adeus. É um até já. Estão todos a ir...
não consigo ficar triste por quem parte, nem por quem fica.
Cada um estará onde tem que estar...
não é tarde, nem é cedo. O tempo é apenas um conceito humano tão linear...tão limitado.
Somos tão pequeninos, e em simultâneo parte de um Todo maior que não conseguimos apreender nesta dimensão...
Make a U Turn...you are in the wrong course to your destination...
Que bom seria se mais e mais de nós ouvíssemos esta frase dentro de nós...mas para isso seria necessário conseguirmos parar, fazer silêncio...e então ouvir...e a maioria parece-me não o conseguir fazer.

E é por isso que, cada vez mais, sou apenas uma observadora. Porque o tempo de uma vida é tão efémero como um grão de areia num vasto areal...e contudo agimos como se fosse apenas isso que importasse e fosse algo eterno. Não o é. Não aqui.
Se parassem para ouvir...os animais, ás árvores, o nosso Eu...têm tanto para nos dizer...
Vale a pena levar tudo tão a sério? Vale a pena desperdiçar momentos que não mais se repetirão? Vale a pena viver assim? Infelizes? Constantemente em busca de algo que nunca é o mesmo nem nunca é encontrado, o stress fatal de cada dia...num desassossego constante, agonizante, doentio...pré-ocupados com tudo o que não temos, não somos, não fomos, fizemos, ou outros têm, não têm, são ou não...e queremos porque queremos ter o que não temos e não queremos o que temos, porque tudo o que temos nunca chega...e quando temos não aproveitamos, não usufruimos, porque custou muito a conseguir, agora há que preservar acima de tudo, e nem gozamos, nem gostamos, e já não é aquilo que queremos, há sempre algo mais...
Incessante movimento de um remoinho que criamos e onde nos afundamos diariamente.
E de repente...
Subitamente...
O tempo que parecia muito esgotou-se...e pode esgotar-se a qualquer momento...
Os olhos tremem, a visão perde-se, o corpo doí, em falência...
Levamos apenas o que realmente é nosso...e quantos não vão nus e sós?
E quantos de nós vivemos esse grão de areia efémero e fizemos dele a nossa praia?
E quantos viraram as costas ao extenso areal, para correr atrás de grãos de areia levados pelo vento para aqui e para lá, em todas as direcções, porque esses pequenos grãos de areia não estão na nossa praia...a tal do extenso areal desprezado e abandonado...
O tempo esgota-se...a qualquer momento o tempo vai-se esgotar. Para ti e para mim. Para todos.
Esta é a minha praia. E não há um único dia que passe que eu não a contemple com amor e infinita gratidão, e veja como o meu extenso areal está repleto de vida, de sorrisos, de lágrimas, de conquistas, está repleto de tudo o que eu posso levar comigo no dia da partida.
Não não tenho uma casa soberba, nem férias e carro xpto, nem facilidades, nem riquezas...mas não me falta nada, nada daquilo a que eu realmente posso chamar de meu.
Esta sou eu. Certa ou errada. Sou eu. Todos caminhamos para a Luz. Este é o meu caminho.

5 comentários:

Maria de Fátima disse...

Olá Siala, o António Feio era um grande actor que eu gostava muito de ver representar.Paz à sua alma.Beijocas.

António Rosa disse...

Paz à sua alma, e que encontre a Luz! Ajudemos nessa caminhada!

Abraço.

inespimentel disse...

Casa nova ou sou eu que ando distraída?
Continuamos em perfeita sintonia.
Sem pôr nem tirar focas o que é para mim essencial.
Um beijo, boas férias
...e a tua princesa e os teus amigos canídeos, tudo em forma?

inespimentel disse...

Pergunto-me porque nos tocou tanto a todos este apagar do António Feio... ele tinha a qualidade da transparência, não representava papeis, a não ser no palco... Nesta sociedade postiça que criámos essa forma de viver, simples e genuina, atrái e comove quem com ela se cruza!

Maria Izabel Viégas disse...

Amiga querida,

esta semana mesmo estva eu a pensar em ti. E uma imensa onda de carinho inundou minh'alma. Uma das minhas primeiras amigas aqui nesta telinha.
Não vou falar no motivo do post, a volta do Antonio Feio para nossa morada espiritual. Já foi dito e bem pela unespimentel, que se sente falta de pessoas que são "inteiras", principalmnete inseridas num mundo vazio, na mídia, onde se representa ainda mais qu aqui na vida normal. Bonita homenagem a tua!
Minha deliciosa surpresa, pois nem esperava comentários, foi receber o teu: Eri... fiquei sem saber: quem é? Hoje, agora manhã aqui no RJ, vim e ... mais amor acrescenta a mim, esta presença , quieta, mais sempre aqui comigo! E sorvi cada palavra tua, precisava delas, sabia?
Estamos sempre a doar, com um sorriso na face, mas nem sempre o coração está a sorrir.
Este ,o meu, sempre feliz... mas o feliz não exclue momentos de estar só na praia minha, cheia de meus grãos, que são férteis, sim! São o meu EU... mas quem não fica triste volta e meia?
E neste momento não se permite passar nada de si para quem ainda não compreende. Uma palavra nossa pode fazer tanto mal aos que não sabem ainda que o caminho é assim: areal queimando os pés, areal úmido e aconchegante.
Horas é preciso deitar-se na água reconfortante dos mares e rios do sentimento-coração e olhar pra dentro, olhar para o céu, as estrelas, sonhar, "sentir só e simplesmente" - sentir!
Amadamiga, obrigada, pelo carinho da tua presença!
temos sim, tudo! Tudo aquilo que precisamos para o nosso vover no aqui e agora! Nossa vida!Que é nosso maior bem e que nunca se acaba, é eterna, veio háeras e será nossa por todo o sempre!
Beijos, Cris! Beijos Eri - Alfa! Beijos, amiga caminhante!