“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

11 de fevereiro de 2009

Corvos


Qual a probabilidade de ver Corvos em Oeiras?
Digamos que para a maioria das pessoas essa probabilidade nem se põe, simplesmente porque nunca lhes aconteceu em anos e anos de vida por aqui.
Mas os meus Corvos encontram-me sempre, seja onde for que eu esteja.

Qual a probabilidade de sair da empresa a uma hora que nunca saio e ver um casal de Corvos placidamente á minha espera ? Diriam, nenhuma.

Ouvi-os sem querer acreditar...

Aquele som rouco, único, especial. A voz dos Corvos é-me tão familiar que me deixa sempre encantada e com uma sensação de bem-estar que ultrapassa a experiência e perdura ao longo dos dias seguintes.

Ao olhar o céu cinzento, as duas figuras negras recortadas lá bem no alto fixaram-me. E eu parei no meio do caminho, enchendo a alma com aquela visão e sorrindo de face bem erguida para eles...se alguém passou naquele momento deve ter pensado "coitada..."

Falaram entre eles e regressaram aos meus olhos dizendo qualquer coisa que me era dirigida. E depois rasgaram o céu de regresso ao sítio de onde vieram.

A probabilidade de isto acontecer deve ser quase nula.

Mas os meus Corvos surgem sempre como um sinal...

E embora não o compreenda, sei que tenho de estar alerta pois a qualquer momento a mensagem tornar-se-á clara como a água.

E apetece-me dizer...

Obrigada :)
When people talk to God, it's called prayer. When God talks back, it's called schizophrenia



Um comentário:

arKana disse...

Olá! já andei por aqui a espreitar há dias e hoje deparei-me com o corvo num blogue de artesanato e achei que poderias gostar:
http://wakanwood.blogspot.com/2010/10/pintura-sobre-couro-com-moldura-em.html
beijos