“Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas nunca são as mesmas e nós nunca somos os mesmos”. O existir é um perpétuo mudar, um estar constantemente sendo e não-sendo, um devir perfeito; um constante fluir...

Se gosta seja amigo :) Namasté!

24 de março de 2008

Humildade

Já repararm como a palavra "Humildade" tem hoje em dia uma conotação negativa?
Ser-se humilde é quase tomado como sinónimo de ser-se um coitadinho, um pobrezito...
Não serei só eu, certamente, a encarar a Humildade como um dos grandes sentimentos que derivam directamente de um amor profundo e universal, e que anda de mãos dadas com o conhecimento, a sabedoria, o amadurecimento.
Há vários dias que esta palavra me tem assaltado em variadíssimas ocasiões...e a verdade é que tenho sido confrontada com as causas da sua falta.
Também eu já fui imune á humildade.
E também eu já a vi como algo repugnante até. Sinónimo de fraqueza. Na altura dizerem-me que eu era humilde (nunca o diriam pois eu não o era, muito pelo contrário) seria levado como ofensa grave pela rapariguinha que tentava lutar com as armas erradas lutas que não eram dela e que tentava a todo o custo provar (sabe-se lá a quem...a ela mesma?) que era algo que no fundo não era.
Ás vezes sinto-me velha. Parece-me que vivi demasiado em pouco tempo, e no entanto temo que o tempo me fuja e não me deixe disfrutar da paz que encontrei ao lado de alguém que finalmente amo - depois de tantas vezes o ter dito e escrito sem saber de facto o que era amar - , e me deixe aprofundar todas as linhas de saber que entretanto descobri...tantas portas ainda por abrir, tanto para conhecer, para saborear, para aprender.
E como se pode aprender sem humildade? Humildade para reconhecer o que se sabe e tudo aquilo que não se sabe. A humildade é o equilibrio da ambição, que mora em todos nós humanos. A Humildade é uma das portas do conhecimento...
Se eu ambiciono o Saber, tenho que ter a humildade de reconhecer que não sei tudo, e que provavelmente nunca o saberei...que há pessoas que sabem mais que eu, e com elas aprender...e partilhar aquilo que sei sem egoismos nem falsas ambições de ser a única a sabê-lo.
Recordo-me de pensar que sabia tudo sobre algo, de ser dona da verdade, e hoje sei o quanto perdi pois poderia ter ido muito mais além...se tivesse sido humilde teria aprendido muito mais sobre esse tal assunto, teria chegado ao cerne da questão muito mais cedo, poupando tempo e forças para aplicar noutras buscas de outros conhecimentos...
Hoje numa mera conversa de corredor descobri que em poucos minutos aprendi mais sobre a vivência actual da espiritualidade cristã católica, do que no resto da minha vida toda...porque me disponibilizei a ouvir, porque fui humilde e porque coloquei á parte as velhas questões que me atormentam há seculos. E porque a verdade é que, embora a Igreja seja uma instituição que pouco me diz de positivo, Jesus Cristo, S. Francisco de Assis, e alguns mais são para mim Mestres que me ajudam no meu caminho espiritual e humano.
Quem me conhece (e provavelmente quem me lê) já notou que eu não sigo uma linha espiritual rigida, a minha espiritualidade, tal como este Blog e tal como a minha vida, são frutos de uma mescla de sentires, de caminhos, de portas e janelas que exploro com a avidez de uma criança curiosa...
Mas a exploração mais gratificante tem sido a da viagem ao meu Eu interior, ao confronto com aquilo que eu sou, ao mergulho no mais profundo dos meus sentires...e tal como terminou a conversa desta manhã, no corredor, com uma colega de há 10 anos e com a qual nunca tinha trocado mais que uma mão mal cheia de palavras; há que ter humildade para reconhecer que pouco ou nada sabemos sobre nós mesmos para que nasça a ambição de realizarmos a viagem das nossas vidas, e mergulharmos sem medos dentro de nós mesmos...aquele Eu de quem fugimos tantas vezes, é a particula "divina" que arde em nós e que nos faz sermos efectivamente Seres de Luz...mas atenção, para que a Luz não falhe há que pagar a conta, e neste caso, há que alimentar essa luz com o saber que só se atinge com humildade, para que ela cresça e nunca se apague...pois a busca do saber é também ela uma busca incessante.

Obrigada MST por me teres mostrado a fealdade da falta de humildade, e obrigada Conceição, pela hora e meia de partilha de saber e de energia positiva.

O Equilibrio dos Desiquilibrados


Este texto foi escrito por um amigo meu...obrigada Paulo!!
Numa altura em que a crise económica e social atravessa todo o nosso planeta é com tristeza e espanto que a maior de todas as crises, a crise de valores, se apodera de Portugal e dos Portugueses (só de alguns felizmente). Quando somos diariamente bombardeados com noticias de assaltos, de assassinatos a sangue frio, do desemprego que cresce em catadupa, dos alunos que são violentos para com os professores, dos professores que serão avaliados pelos pais desses mesmos alunos, os nossos governantes decidem, e muito bem, tomar medidas. O meu espanto surge quando me apercebo que as medidas visam o combate à violência, mas dos cães ditos de “ataque”.
Será que me equivoquei ou os problemas gravíssimos que assolam a nossa sociedade têm as suas raízes nos seres humanos e não nos animais? Qual é a culpabilidade dos rottweillers e dos pitt-bulls, para não falar em outros, em toda a situação de insegurança em que vivemos diariamente? Não serão os animais vítimas da brutalidade, insanidade e irracionalidade do ser humano?
Sendo o ser humano o único dos animais dotado de razão como poder ser tão cobarde ao ponto de perseguir aqueles de quem não sabe cuidar. Como poderemos nos culpar os animais de falta de sociabilidade se somos nos quem nos fechamos nos nossos caixotes que chamamos de apartamentos e oferecemos aos nossos filhos os tamagochis como se eles fossem animais de estimação. Que sociedade é a nossa que educa as nossas crianças tendo por base uma receita na qual os principais ingredientes são a individualização, a competitividade e o sucesso a qualquer custo. Cada vez mais o meio ambiente é o betão e os animais com os quais contactam estão à distância de um “clik” do comando da televisão.
Quando vejo na televisão comentadores dizerem, e passo a citar “ A maioria dos donos destes cães não são pessoas equilibradas”, questiono mais uma vez o que é ser equilibrado? Será equilibrado eu praticar um “desporto” denominado de caça, no qual unicamente por lazer eu me acho no direito de mater uns quantos coelhos, patos ou javalis? Será equilibrado eu pagar uma avultada quantia de dinheiro para assistir a um, deprimente, espectáculo no qual vários indivíduos sentados em cima de cavalos passam mais de uma hora a “espetar” ferros num touro até este ficar quase inconsciente como consequência da perda de sangue? Será equilibrado aquele que permite que um touro seja morto no meio de uma multidão, onde entre outros estão também muitas crianças? Será equilibrado eu permitir que centenas de cães morram todos os anos nas mãos de donos que os mantêm presos a uma corrente e que pura e simplesmente os deixam ao abandono sem comer ou beber? Onde está o equilíbrio de uma sociedade que fecha constantemente os olhos às atrocidades cometidas contra os animais sem que alguém seja capaz de fazer algo? Será equilibrado eu deixar impunes aqueles que por regozijo próprio de divertem assistindo à luta de dois animais que foram previamente treinados para esse efeito? Que sociedade equilibrada é esta que permite que animais sejam ano após ano, abandonados e que esses mesmos abandonos não acarretem qualquer penalização para quem os pratica? A verdade nua e crua é que os animais não têm direitos e não seria necessário que os tivessem, se os homens fossem capazes de cumprir com um dos seus deveres que é o de os tratar convenientemente. Os nossos animais são “brinquedos” e como tal são descartáveis, sempre que nos apetece aproximamo-nos e usamos quando já não é do nosso agrado deitamos fora. Este desprendimento dos valores humanos é o reflexo da sociedade consumista e competitiva da qual fazemos parte.
Mas que espécie de louco desequilibrado serei eu que peço para tratarem os animais de forma correcta se nem sequer somos capazes de zelar pelos da nossa espécie? Como pode esta sociedade cuidar dos seus animais se deixa que os nossos idosos apodreçam em lares de 3ª idade onde não nos incomodam nem embaraçam? Que espécie de utopia é esta de cuidar dos animais se quase diariamente me deparo com noticias de recém-nascidos que são deixados em contentores do lixo e dentro da arcas congeladoras? Onde mora o equilíbrio e a justiça quando ao invés de nos preocuparmos com as crianças que diariamente são negligenciadas pelos próprios pais só centramos a nossa atenção em dois ou três arranhões que um cão infligiu a uma delas? Será psicologicamente mais penoso para uma criança, a mordida de um cão ou a ausência de convivo com os aqueles que lhe são mais próximos?
Se esta for a sociedade equilibrada que tantos vêm apregoando, então é com orgulho que me auto declaro como um verdadeiro desequilibrado de corpo e alma. Os valores dos quais sou provido não me permitem sentir equilibrado no meio da sociedade em que estou inserido.
Para terminar importa ainda referir que é com grande tristeza que vejo a possibilidade de algumas das nossas raças desaparecerem, mas ao mesmo tempo acredito ser uma bênção para esses animais, em virtude de não terem mais de conviver com a irracionalidade do ser humano.

Por Paulo Silva

“Chegará o dia em que o desenvolvimento e evolução de uma nação serão medidos pela qualidade com que tratam os seus animais”

19 de março de 2008

O poder da inércia

PS - Amanhã dia 20 de Março, no jornal da hora de jantar da TVI vai passar uma pequena peça que tem como protagonista uma Rottweiler muito especial, a minha SHIVA. Espero ter conseguido passar a mensagem não só com as palavras, mas também com as imagens...porque eu continuo a acreditar que é possível, e que falhar é não tentar.

Na primeira noite
eles aproximam-se e colhem uma Flor do nosso jardim
e não dizemos nada.
Na segunda noite,
Já não se escondem;
pisam as flores,
matam o nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia
o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a lua e,
conhecendo o nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E porque não dissemos nada,
Já não podemos dizer nada.

Vladimir V. Maiakovski poeta russo



First they came for the Communists,
and I didn’t speak up,
because I wasn’t a Communist.
Then they came for the Jews,
and I didn’t speak up,
because I wasn’t a Jew.
Then they came for the Catholics,
and I didn’t speak up,
because I was a Protestant.
Then they came for me,
and by that time there was no one
left to speak up for me.

by Rev. Martin Niemoller, 1945

Perdoai-lhes Pai, pois não sabem o que fazem... Jesus Cristo

E passados 2000 anos parte da Humanidade continua a não saber o que anda aqui a fazer...e adormecida só faz "merda".
E a outra metade que até sabe o que anda cá a fazer...dorme e consente, pois assim agrada a gregos e troianos e fica na Paz do Senhor...
Todos pedem ajuda a Deus/Deusa/Tudo o que existe...mas ninguém o/a ajuda, nem que seja fazendo silêncio para o/a ouvirem, quanto mais agindo.
Um dia virá o abanão final que vai acordar as duas partes da Humanidade, em choque e estarrecidas com a tomada de consciência tardia face á inevitabiludade dos actos cometidos...é a chapada que se impõe, daquelas de mão bem pesada, que deixa marcas avermelhadas do sangue e da vergonha.
E não há um dia que passe que eu não peça para que não seja tarde de mais...podem tirar-me tudo, mas nunca me tirarão a minha fé no Ser Humano Verdadeiro. Mas que isto está muito dificil, isso está!
Caminhamos alegremente para as chamadas ditaduras politicamente correctas e democraticamente consentidas...

14 de março de 2008

Sem Palavras


O Governo vai proibir a importação, criação e reprodução de cães de sete raças consideradas perigosas e de todos aqueles que resultem do cruzamento de animais destas raças ou com outras espécies. A notícia é avançada pela TSF e abranges as raças Pit bull, Rottweiler, Cão de fila brasileiro, Dogue argentino, Staffordshire terrier americano, Staffordshire bull terrier e Toza inu.
Assim que o despacho que o Ministério da Agricultura tem em preparação for publicado, o que deverá acontecer «muito brevemente», soube o PortugalDiário, os donos dos cães considerados perigosos dispõem de dois meses para procederem à esterilização dos mesmos. Caso não façam essa esterilização, os proprietários arriscam-se a pagar coimas entre os 500 e os 45 mil euros.

Os animais nascidos depois de Julho de 2008 devem também ter um microchip, uma cápsula de identificação electrónica. Se esta não for colocada, os donos podem ter de pagar uma multa entre os 50 e os 1850 euros.

De fora deste regime, soube o PortugalDiário, ficam os cães que estão inscritos no Livro de Origem Portuguesa, mas, mesmo assim, é necessária uma autorização especial para a reprodução. A utilização destes cães por parte das forças de segurança também está incluída no regime de excepção.

Esta medida surge no seguimento do que já se passa noutros países. Segundo conseguiu saber o PortugalDiário, no Reino Unido, na Noruega e no Chipre, por exemplo, estão proibidas quatro raças, na Alemanha 15 raças de cães, em França a proibição é generalizada a todos os cães perigosos, e na Holanda e Suíça apenas a raça pit bull está proibida.

O Ministério da Agricultura adiantou à TSF que já realizou todos os estudos, cabendo agora ao Ministério da Saúde garantir os atestados de capacidade física e psicológica dos proprietários, que falta regulamentar.

Em Portugal, estão registados perto de 5500 cães de raças perigosas e existem ainda cerca de mil cães referenciados como perigosos por terem atacado pessoas ou mostrado sinais de agressividade não controlada.

noticia aqui

Querem banir uma das raças mais antigas á face da Terra, que sempre colaborou com o Homem, ajudando-o no seu trabalho.
Querem atirar areia para os olhos do povinho, que ainda não entendeu que quem faz o cão é o homem que segura na outra ponta da trela.
Querem distrair o País dos temas que realmente afectam o tal povinho, como os salários miseráveis, a educação e saúde em colapso, o aumento absurdo do custo de vida, o abandono dos velhos e dos diferentes...
Tudo querem e tudo podem porque mais uma vez quem sabe o contrário, quem pode o contrário e quem devia lutar pelo direito á escolha anda a dormir.
É tão bom ser-se bonzinho, acreditar que isto é tolice e que não vai acontecer, é tão bom ficar a ver e da mesa do café criticar e barafustar...
Tenho vergonha da minha raça. Uma profunda vergonha. Não desisto dela, mas envergonho-me da mediocridade dos seres que nos governam.

7 de março de 2008

A Criança que calou o Mundo por 5 minutos

video

Marte em Caranguejo

(hoje acordei a pensar, tenho que ver o que se passa lá em cima em termos de transitos porque desde dia 04 que só levo tareias ... aqui está a resposta! )



Marte entra em Caranguejo a 4 de Março (original em Nova-Lis )


Marte entra em Caranguejo a 4 de Março, deixando o signo Gémeos, onde conseguiu provocar inúmeros confrontos verbais e muito bla-bla-bla. Marte simboliza a acção, coragem, luta, sexualidade, força física, energia masculina e yang, como o indivíduo age e reage perante as situações e a forma de concretizar os seus objectivos.
Marte é o regente do ano 2008, regente de Carneiro e Escorpião, é igualmente regente de vários decanatos: 1º de Carneiro, 2º de Gémeos, 3º de Leão, 1º de Escorpião, 2º de Capricórnio e 3º de Peixes.
Este planeta não quer nada com Caranguejo. Por se encontrar em “queda” neste signo. Portanto, no mínimo, estamos a falar de “muita” emoção. 0 mau humor e frustrações emocionais poderão estar na ordem do dia, levando à raiva com facilidade, podendo provocar sérias discórdias. Cuidado com as úlceras e problemas de estômago. Sensibilidade, por um lado. Força de luta, do outro.
É um trânsito muito exuberante e absurdamente aquoso. Existe uma forte energia do guerreiro com Marte, e por isso também a preocupação de não se forçar muito a si e à sua agenda, ou os ideais que tem para com os outros. As discussões podem tornar-se exacerbadas pelas questões emocionais.
O elemento água do signo cardinal Caranguejo, apaga a natural fogosidade do elemento fogo, ao qual Marte está associado, no entanto esta coloração dada ao planeta, pode ser extremamente proveitosa, pois podemos beneficiar desta energia, para percebermos a abismal diferença que existe, entre o mundo dos impulsos e desejos e o mundo dos sentimentos profundos.
Marte permanecerá em caranguejo até 10 de Maio, passando para Leão, onde se sentirá muito à vontade. Até daqui a cerca de 2 anos, quando voltará a passar por Caranguejo.